sexta-feira, 20 de setembro de 2013


Querida Clarice Lispector

29


- Quanto tempo! Aceita uma xícara de café? Ok!

Tá, lá vamos nós de novo (novamente), essas mudanças que não cessam estão acabando comigo. Me deparo com 14 anos de idade, ensino fundamental, cidade nova, colégio também. Você deve imaginar quão tenso e insuportável é ser novata, mas, sempre tem como piorar. Mudei no meio do ano, eu era a mais novata de todos os novatos. A escola nunca foi meu lugar preferido (apesar de amar estudar), digamos que eu não era tão popular, quer dizer, não era popular.

A questão é, que passei minha infância e adolescência tentando me adaptar com as pessoas, com os lugares por ande andei, com tudo. Sempre me via na obrigação de tentar ser que nunca fui, camaleão não é e nunca foi meu forte. Sempre achei desconfortável quando os olhares se voltavam pra mim, contra mim, me encaravam e não era por ser bonita, os olhares que me fitavam sempre foram bastante criteriosos, humilhantes demais para retribuir. Querida Clarice, você deve ser a única que de longe poderia me entender, afinal você entendeu Macabéa e viu que por debaixo de tanto anacronismo tinha uma alma ali, um coração que pulsava tímido por receio de fazer barulho e ser mais machucado do que já estava.

Não me permitia sorrir, essa proeza pairava distante de mim, algumas vezes esbocei um riso no espelho, parecia o reflexo de outro ser. A sociedade, ser social, socializar, era meu campo de batalha, conjugar era mais fácil do que cair na realidade. Mas, aos poucos fui modificando minhas escamas e inerentemente a sociedade foi aceitando meu “eu” que não era mais tão eu assim. Submeti-me a ser “diferente igual a todo mundo”, esse era o risco que tive correr para descansar um pouco. Não encarava aquela máscara como falsidade, apenas habituação, uma forma inexorável de não sofrer, mas, sofria. E o que nunca achei que poderia acontecer, aconteceu. Fiz amigos e pra eles mostrei minhas falhas, imperfeições , minhas inseguranças e eles me aceitaram. Talvez a humanidade ainda tenha jeito e por isso não vou generalizar meu ódio.

Minha misantropia foi reduzida, embora reste ainda um pouco de ser humano nesse corpo misantrópico. Talvez eu tenha perdido um pouco de mim entre os personagens que criei, é que essa mixórdia ainda reina em mim e por esse motivo (de vários outros existentes) que me afasto e afasto quem se julga me amar. Clarice, você entende? Uma vez um homem chamado Antoine Saint me contou que “O essencial é invisível aos olhos”, mas, eu era muito pequena pra entender, acho que só agora tá fazendo sentido e eu não to sabendo lidar com tudo isso. Essa confusão se instalou logo agora, porque justo agora? Estava preste a fazer as malas e seguir em frente, embora, não tenha (ainda) uma direção. Esses sentimentos que me torna humana, faz doer e me faz sentir saudade dos personagens.


 Clarice, isso era para ser uma conversa e não um monólogo, esse teu silêncio... Tá, ok! Presumo que queira me dizer que já está na hora de pensar nos “amanhãs” invés de pensar só em mim, desfazer as malas é uma opção a se pensar, confesso.

- Preciso ir, qualquer dia te encontro por aí.


29 comentários:

Bruna Lago disse...

Poxa, que tocante. Adoro quando vejo blogueiras escrevendo seus próprios textos, é tão motivador !
Parabéns,
Beijos e ficarei feliz em te ver no B.L
http://bhulago.blogspot.com.br/

Simone Felic disse...

Fiquei confusa , é um texto ou
um pouco de sua história,

bjs

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Lulu on the Sky disse...

Que legal esse texto.
Por gentileza, pode responder novamente a enquete? Deu erro no formulário quanto a idade, e já consertei. Obrigada
enquete do blog da Lulu
Big Beijos

Nanda Tavares disse...

Flor,eu não sei se é a hora(pois são 3 da manha) ou se sou eu mesmo que boiei...
Mas não entendi bem o texto.
Desculpa tá! e um grande beijo!
luxuriademenina.blogspot.com

Anônimo disse...

Pelo que entendi é um desabafo, uma conversa com a Clarice. Muito bom!!

Bjs

Carol disse...

Lindo seu texto!
Excelente final de semana!
Beijinhos ;*

bycarolinaa.com
facebook.com/meudiarioescondido

Finíssimas Fashion disse...

Que texto bem escrito, gostei mesmo!! =)

Estou te seguindo aqui no seu lindo cantinho.
Posso te esperar em meu blog, também retribuindo?!
Espero que sim!! <3

Um beijo,
Yasmin Christe
http://fashionfinissima.blogspot.com.br/

Nanna Cunha disse...

Que legal esse texto, gostei! Como dizia a Fatinha de malhação como diria Clarice Lispector... rs
Bom fim de semana!
Fica com Deus!
Beijo!

http://nannacunha.blogspot.com.br

Adriana Alfaro disse...

adoorei o texto, super diferente essa ideia!
Beijoos!

Maria Ferreira disse...

Que lindo!
Ah, Clarice!
Eu também gosto bastante dela.

Thayse Stein disse...

Sempre penso bastante sobre generalizar e acabar perdendo as pequenas coisas, que valem a pena. Gostei do seu texto, como sempre :)


Beijos
Brilho de Aluguel

Just me disse...

Adorei o texto. Deixou-me reflexiva!
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br

Deborah Marques disse...

Que lindo textos! Quero ver muito mais aqui, ok? você escreve muito beem *-*

Beijos, blog-meninasdepreto.blogspot.com

Sarah Marques disse...

Oi, tudo bom?
Meu Deus, que texto lindoooooo! Parabéns, essa intertextualidade, ainda mais com Clarice é emocionante de ver na blogosfera!
Obrigada por prestigiar minha coluna no blog Refúgio das Palavras!
Tem post novo e promoção!
Beijão
Endless Poem

Larissa disse...

Parece um belo "texto-desabafo", porém muito bonito mesmo. ^^

Beijão.
Vitamina de Pimenta

Blog da Biane disse...

Xuxu! Acabei de conhecer seu blog e estou encantada com tudo que vi.
Seu blog é muito fofo e tudo com muito bom gosto, já virei seguidora para não perder nenhum detalhe.
Se poder me faça uma visitinha e se gostar me siga também...

Um lindo dia pra vc...

bjks

blogdabiane.com.br

Thami disse...

Que lindo texto! Muitas das vezes generalizamos tanto que esquecemos do agora né? Adorei!

xx,
www.likeparadise.com.br

Marcelle Monteiro disse...

Gostei muito das referências.
A gente sempre tem incrível habilidade para se importar tanto com o eu, não acho que isso seja ruim porque só a gente convive eternamente com a gente.
http://doisquintos.blogspot.com.br/

Raquel Pereira disse...

Texto perfeito meu Deus ♥

http://historiaimperfeita.blogspot.com.br/

Gabriela Gomes disse...

Texto lindo esse, adorei!
www.espacegirl.com

Bau de tendencia disse...

Olha em regra o ser humano diz que se mantém bem com a mudança, mas e mentira, nos assusta e nos dá medo, sempre bom termos alguém em quem nos apoiar, além de Deus e famiília uma escritora e sempre uma opção .. beijos

Re_becah disse...

Aceitar ser "diferente igual a todo mundo" é importante! Amei o texto, mesmo!!!

Muito obrigada por comentar no meu blog!
Sempre que atualizar me mande um recado no meu blog, que virei aqui comentar! Fica mais fácil para eu não esquecer e sempre estar aqui mantendo contato! ;)

Beeeijooos, @re_becah

blogdareh.com.br

youtube.com/blogdareh

facebook.com/blogdareh

Jeice Coelho disse...

Adorei o texto! Bem reflexivo.
Lindo seu blog, já estou seguindo!

Beijinhos

Instagram: @jeicecoelho


http://jeicinha.blogspot.com.br/

Sâmela faria disse...

Quanta perfeição em um único texto *---*
Amei demais <3
http://escrituras-da-alma.blogspot.com.br/

Stephanie disse...

Adoro Clarice Lispector :)
Beijinhos, Té
bloglola.com.br
Instagram: stephanieparizi
Ps: quer ganhar 5 prêmios L´oréal, Maybelline e Colorama?! Então corre no Lola! e participe do sorteio que está no ar, é super fácil :)

Bruna Flair disse...

Adorei o texto! :)

beijo!
www.brunaflair.com

Hellz. disse...

Que texto liiiindo!
Muitas vezes personagens literários e autores também são meus melhores amigos.

beijos

Andressa Rodrigues disse...

Testo lindo...adorei!!!!

E gostei muito do seu blog tbém!!!

Parabéns!
Beijos
Andressa
http://pimentasdocepimentas.blogspot.com.br/

Iasmin Cruz disse...

Adorei, porque já passei por momentos como esse, impossível não se identificar.

www.iasmincruz.com

Postar um comentário

Leia o post antes de comentar. Obg e volte sempre ;)

Receba os post por Email

Visitas