terça-feira, 17 de abril de 2012


O naufrágio de 1912

7

Quando falamos em titanic a primeira coisa que vem na  mente de muitas pessoas é " rose e jack " agora se rose e jack realmente existiram eu não sei, mas que de fato é uma bela história de amor não tenho dúvida.Como domingo passado dia 15 a tragédia completou 100 anos, eu decidi criar um texto, a narrativa de um passageiro que estava à bordo. Você tem um tempinho para lê?



Último minuto
Se você estiver lendo isso... Será que alguém vai lê isso, será que eu irei sobreviver para contar essa história pessoalmente ou não?
Sabe, eu tinha muitos planos, sonhos para sonhar, alegrias para  rir, tristezas para chorar, pessoas para amar, um desculpa para dar, um abraço para receber, um perfume para sentir, um “eu te amo” para dizer, uma vida cheia de erros e acertos para viver, mas agora... Agora por causa de um iceberg nem tempo eu tenho mais. Será que foi só por isso?
A água está adentrando no navio, muitas pessoas estão atormentadas, estou vendo coisas que não queria vê, crianças chorando à procura de seus pais, homens pulando do navio, é o desespero tomando de conta das pessoas, em poucas horas esse navio vai afundar e junto com ele muitos sonhos, muitas histórias mal resolvidas, muitas vidas.
Você que está lendo deve está intrigado com minha calma, enquanto todos procuram se salvar eu estou aqui escrevendo uma carta para alguém que talvez ainda nem exista, contando os últimos relatos de um naufrágio, não pense que eu não me desesperei ao saber dessa notícia quando estava me acomodando na minha cabine. Não pense que não chorei de desespero, gritei aos céus pedindo uma saída, uma saída apenas de sair vivo.
O que me fez mudar de ideia foi a música que a orquestra estava tocando, foi ouvir aqueles hinos, que minha mãe cantava quando eu era criança “ Mais perto quero estar meu Deus de ti, ainda que seja a dor que me uma a ti, sempre ei de suplicar, mais perto quero estar...” E aquela canção foi acalmando minha alma e eu fui percebendo que não tinha mais nada a fazer naqueles últimos minutos, além de me conter e aos Senhor clamar.
Sabe... Não há coisa melhor para se fazer, porque morrer um dia todos iremos, independentemente como, ir morar com Ele, é outra historia. E nesse exato momento está começando afundar a parte da frente do navio, não dá mais para escrever, está difícil manter o equilíbrio, eu acho que isso é um adeus.

                                                                                      Pierre Marquês de Vogué, Titanic - 1912


E se você tivesse à bordo, o que faria com seus últimos minutos?

7 comentários:

Desconstruindo as palavras disse...

Se eu estivesse à bordo ficaria do lado da pessoa que eu amo,como fizeram aquele casal de velhinhos que morreram abraçados enquanto todo o resto das pessoas estava lá fora desesperado.
http://desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br/

.Daniella disse...

Emocionante...
Nos meus últimos momentos, eu iria curtir ao máximo o meu amor e diria a ele o quanto ele é importante na minha vida!
http://super-feminina02.blogspot.com.br/

lea disse...

que lindo teu blog, passei pra conhecer e retribuir a visita, bjs

Cássia Tamires disse...

Eu nem sei o que eu faria =/
Beijos :*
Nos olhos de quem viu

Gih disse...

Nunca tinha lido esse texto, belissimo!!
Realmente não dá pra dizer o que eu faria.. no caso eu acho que tentaria mesmo é conseguir um bote rs..
Mas se o meu amor não pudesse ir comigo eu certamente ficaria com ele e tentaria sobreviver
kisses

Luana disse...

Nossa, é realmente muito triste! Imagina o desespero daquela gente vendo tudo aquilo acontecer sem poder fazer nada :/

Obrigada pela visita lá no blog, volte sempre ;)

Beijos,
Luana

www.belasperolas.blogspot.com
@belasperolas

Escritora de Artes disse...

Um texto emocionante!

Obrigada pela visita

Saudaçoes

Postar um comentário

Leia o post antes de comentar. Obg e volte sempre ;)

Receba os post por Email

Visitas